Descrição do Produto

No texto, as falas dos adolescentes operam como indutoras do diálogo com as teorias apresentadas sejam para convergir, seja para divergir. Não se observa, em momento algum, um velho vício do pesquisador qualitativo de pinçar do material empírico apenas o que confirma sua hipótese já delineada. A pesquisadora se surpreende e nos surpreende, por exemplo, com a centralidade dada pelos entrevistados, à gratificação que lhes proporciona, traduzido no significante 'emoção', a aventura criminosa. A 'adrenalina' experimentada no momento do roubo, da fuga, induz - na fala de alguns - a uma espécie de dependência psicológica de condutas transgressoras, dificultando que escapem da 'vida loka'. Ainda que não inédita essa dimensão parece olvidada ou negligenciada pelas pesquisas e pode inspirar novos desenhos para os programas de prevenção e novas técnicas de intervenção para os programas sócio-educativos. É essa a dimensão que ganham as falas dos adolescentes na pesquisa - não revelam a verdade sobre a causa do crime, mas evidenciam algumas demandas nem sempre óbvias, cujo atendimento parece ser condição necessária, ainda que não suficiente, para descontinuar as trajetórias criminais.


Especificações técnicas de Vida cotidiana dos adolescentes em conflito com a lei e o envolvimento com praticas delitivas






Topo

    Aguarde alguns segundos...

    Fechar